100% VIAGENS PERSONALIZADAS

Como é que Angkor foi esquecido?

Atualizada 8 abril 2020
Neste artigo vamos descobrir como é que Angkor magnífico foi deteriorado e esquecido pelos seres humanos
Resumoesconder

Neste artigo vamos descobrir como é que Angkor magnífico foi deteriorado e esquecido pelos seres humanos.

Os tailandeses atacaram e roubaram Angkor em 1431, e depois de apenas um ano, Angkor foi descartado. Desde então até vários séculos depois, seres humanos esqueceram-lo. Quando as pessoas saíram de ruas e templos de Angkor, todos os tipos de plantas começam a colonizar de nível da mancha de óleo. Quando era uma cidade animada, as florestas foram separadas da vida civilizada a uma certa distância. Mas atualmente, estão aproximando como um exército que está chegando para cercar Angkor. Vários regimentos de florestas, de uma forma silencioso e um ritmo regular, abeiraram mais perto, ocupar campos que não cultivam e invadiram Angkor Thom. As florestas derrotaram de um ponto base a outro, sem encontraram resistência, até que todos de palácio, templos, casas, mercados renderam-se.

Árvores velhas, esfoliações, ervas daninhas, flores selvagens cresceram rapidamente e preencheram todos os cantos da cidade. Com tempo, ruas e casas de madeira foram apodrecidas e desabadas. Os vestígios da civilização humana são quase apagados da terra sob o impacto do vento e da chuva. Depois de algumas décadas, a única coisa que resta são os grandes estruturas feitas de tijolos e pedras, cobertas por folhagens densas de antigas florestas.

Como uma inundação, a invasão da floresta em Angkor é ainda mais brutal do que a floresta de Dunsinane, em Macbeth de Shakespeare. Sementes trazidas pelo vento ou pássaros caíram em fendas na superfície de templos e santuários, enraizando profundamente nas estruturas. Eles crescem rapidamente, demolem as arquiteturas como o atual do templo Bayon, ou confinam estruturas de pedra em suas raízes, como fizeram com o templo Ta Prohm.

Como é que Angkor foi esquecido 1

Junto com o exército de árvores de floresta, havia um exército de animais selvagens. Hoje em dia, os lugares onde as pessoas se reúnem é o lugar de animais selvagens. Tigres andam por caminhos que os príncipes costumavam seguir. Panteras se estendem em locais onde os capelães costumavam se ajoelhar em oração. Periquitos gritaram em lugares que esposas esperavam exaustivamente o retorno de seus maridos do campo de batalha. Macacos se reúnem em estradas que costumavam ser mercados lotados.

Embora os Khmer nunca tenham retornado a Angkor Thom ou estabelecido uma vila próxima por 400 anos, essa capital ainda permanece em memórias deles. Às vezes, quando perguntados sobre essa cidade esquecida, eles ainda falam com orgulho.

Como é que Angkor foi esquecido 2

Algumas pessoas das gerações seguintes mudou-se para áreas próximas para pescar nas margens do lago Tonle Sap ou para cultivar ao longo do rio Siem Reap. Às vezes, enquanto caçam ou procuram lenha, ficam horrorizadas quando encontram templos estranhos escondidos sob as folhas escuras das árvores antigas. Devido à consciência da natureza sagrada do complexo do templo de Angkor Wat, alguns monges budistas montaram vários pequenos santuários nas proximidades para o culto diário. Mas eles eram apenas as pessoas locais e os praticantes espirituais que não conheciam a cultura, história e arqueologia. Contam-se as lendas sobre as terras santas grandes e sagradas que, segundo eles, foram construídas em região selvagem pelos deuses.

Alguns portugueses ou nômades sabem sobre esse lugar e boca a boca sobre um urbano enterrado na selva. Mas aqueles que ouviram eram céticos, considerando que era apenas um lugar imaginário, como os tesouros do rei Salomão, ou o continente da Atlântida.

Como é que Angkor foi esquecido 3

Quando os franceses procuraram colônias nos três países da Indochina, começaram a prestar atenção a esses boatos. Numa manhã em 1860, um naturalista francês chamado Henri Mouhot entrou na floresta por uma trilha de lenhador para explorar e, através da densa folhagem, viu as torres cinzentas de Angkor Wat. Mouhot está atordoado, não acreditando que o que ele vê é verdade. Mais tarde, ele escreveu que, no meio de selvagem, descobriu Angkor. Ele pensou que a descoberta da civilização brilhante de séculos atrás do povo cambojano no século XIX foi como um marco da transição entre escuridão e luz.

Os historiadores ainda não descobriram o motivo pelo qual Angkor de repente se deteriorou entre os séculos XIII e XIV, mas muitos outros fatores podem contribuir para a explicação:

  1. Programa de construção maciça do rei Jayavarman VII esgotou os recursos do Camboja. Ao mesmo tempo, os antigos estados vassalos que se tornaram nações independentes, não prestavam homenagem anualmente para enriquecer o tesouro do Reino de Angkor.
  2. No final do século XIII, uma nova seita do budismo chamada Hirayana (ou Theravada) foi introduzida no Sri Lanka. Esta seita considerava Buda como um modelo a seguir, mas ainda um mortal como todas as pessoas. A crença nega ter um deus e acredita que a libertação se deve ao esforço de cada indivíduo e por si mesmo. Não havia deus para adorar, era apenas um grupo de pessoas que se reuniram para encontrar um caminho da libertação. A igualdade dessa doutrina enfraquece o sistema de vida social e política do Khmer, que foram construídos sobre o hinduísmo. Louis Finot, um arqueólogo francês, refletiu essa visão da seguinte forma: “Esta é uma religião frugal. Monges dedicam suas vidas à serenidade. Eles vivem em cabanas rústicas e a propriedade é apenas uma tigela. Esta é uma religião moral cujo princípio é encontrar paz de espírito e vida pacífica”. Finot acreditava que o povo Khmer estava esgotado pela guerra e sofria de pobreza devido à construção de muitos templos. Então, eles estão muito felizes em receber uma nova religião que os seus crentes não precisam se importar com a vida.
  3. Devido à necessidade de se defender nos contínuos ataques do exército tailandês, o reino sofreu sérias perdas humanas. Como resultado, não há pessoas suficientes para preservar o sistema de canais necessário para a produção agrícola.

Artigos relacionados

Koh Phi Phi: Guias de viagem e experiências (atualização 2024)

Koh Phi Phi, localizada no meio do Mar de Andaman, é um destino atraente para os amantes da exploração. Com praias de areia fina e águas cristalinas, Koh Phi Phi oferece uma experiência natural única.

Sanduíche Vietnamita: Banh mi história, receita, onde comer

A culinária é um dos meios mais importantes de refletir a cultura de uma nação. “Banh mi” é um prato vietnamita que ilustra claramente este conceito. Um exemplo icônico de fusão culinária entre o Vietnã e a França. Nesta passagem, contamos a história, as características e o nome dos populares restaurantes banh mi no Vietnã.

Pontos turísticos do Vietnã: 15 melhores lugares (Lista completa)

O Vietnã é o destino ideal para os amantes da natureza. Entre arrozais cintilantes e espessas sebes de bambu, descobrirá a beleza desta parte autêntica e vibrante da Ásia. Desde a fronteira chinesa no norte até ao delta do Mekong no sul, o Vietnã oferece uma impressionante variedade de paisagens, uma gastronomia excecional e uma história fascinante.

As 20 melhores praias da Tailândia: Selecão imperdível

A Tailândia é o paraíso das praias mais bonitas com paisagens deslumbrantes e águas cristalinas. Aqui, os turistas podem descobrir praias de areia branca e fina, além de enseadas românticas em forma de coração. Estes são destinos não apenas para relaxar, mas também para vivenciar os momentos mais bonitos à beira-mar.

A Ponte Dourada do Vietnã - Destaques de Ba Na Hills e Da Nang

A Ponte Dourada do Vietnã - Destaques de Ba Na Hills e Da Nang. Um símbolo turístico que qualquer turista quer admirar com os seus próprios olhos uma vez na vida. Vamos descobrir isso com a Asiatica Travel no artigo que apresenta a Ponte Dourada Vietnã.

Ilhas na Tailandia: Não pode perder

A Tailândia, a terra do Templo Dourado, não é apenas famosa pela sua rica cultura e longa história, mas também é conhecida como um paraíso de belas ilhas.